“Um outro um” – dez anos

Este slideshow necessita de JavaScript.

               Na  publicação “um outro um” poemas curtos são intercalados por Crônicas e imagens,   publicado pela Editora Escrituras/ São Paulo.  O livro foi lançado na X Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro/RJ, no final de maio de 2001.

                  O evento de  lançamento  em Maceió/AL, em setembro, no  Misa, Jaraguá reuniu literatura, performances, música, cenografia.  Teve a ambientação  assinada por Fernando Honaiser, mostrando os signos do livro, com painéis de acrílico transparente. Instalações com espelhos, plotagens, pedras e cortinas de chaves e flores fizeram a composição  visual do evento.

               Contou com sessão de autografos, e perfomances cênicas e audiovisuais de Telma Cesar, Luciano Pontes, Nadja Rocha, Eliza Magna,   Fernando Pontes,  Hermano Figueiredo e Nuno Oliveira.    A organização foi da Ideário Comunicação e Cultura, com a produção de Silvana Chamusca.

              No mês de dezembro de 2011, houve um evento instalação “Um outro um” no Armazem Sebrae, Jaraguá, em Maceió/AL,  onde Telma César, Jorge Schutze e Nadja Rocha realizaram uma perfomance cênica de tirar o fôlego do público, as instações visuais foram concebidas e executadas por Fernando Honaiser  e Hermano Figueiredo, com a produção de Silvana Chamusca.

Mais  sobre o livro


Trechos do livro:

A calçada, por ser de natureza passiva, não sabe para onde vai cada um dos que pisam sua superfície. Sabe menos ainda sobre o dia e a hora em que se deu o abandono da lua ou o desespero do sol. Mas aceita ser pisada por pés descalços ou calçados de botinas, sandálias, tênis, altos saltos ou rasos; caminhando ou correndo. A calçada recebe tudo sem reclamações, sem computar a quantidade de transeuntes e sem requisitar que lhe deixem alguns trocados para sua recuperação. Apenas cumpre sua função de cimento e pedras.

(…)

Um dia seguindo o outro decifra enigmas. O tempo passando, a água escorrendo, a pedra caindo… Abro os braços e deixo o próximo capítulo acontecer. Num play constante em busca da saída, vou seguindo o rio… Em todo canto aparecem sinalizações de siga em frente. O mais simples vem antes do mais complicado, e, somente na procura, o mais simples é mais difícil. (Do livro UM OUTRO UM . 2001.).

Um comentário

  1. So agora vi seu texto. Nossa,10 anos,nem parece, mas foi tudo muito lindo mesmo e o livro é maravilhoso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s