PROJETOS AUDIOVISUAIS

Há projetos que nunca saem do canto, há projetos que estão precisando de um melhor desenvolvimento, há projetos que precisam de muito retrabalho.

Num projeto audiovisual são muitas informações sobre formato, gênero, desenho de produção, orçamento, cronograma, entre outras especificidades de um projeto audiovisual em especial aqueles direcionados ao FSA/Ancine.

O projeto audiovisual pode ser um curta, um longa, um telefilme; uma obra seriada de ficção, de animação, de documentários e demais formatos que tanto se adequam as salas de cinema, canais de televisão, web.

A Ancine tem diversas linhas de investimento no setor audiovisual. Os canais de TV estão aí buscando conteúdos interessantes e bem produzidos.  Mas são muitas as dúvidas sobre os projetos, os roteiros, o desenvolvimento, a produção, a comercialização.

Elaboro projetos audiovisuais, em especial aqueles voltados para a produção de conteúdos para Televisão. E também reviso, presto consultoria para projetos de terceiros.

Caso você esteja precisando de consultoria profissional, entre em contato.

Vamos conversar.

 

Prodav das TVs Públicas

Durante os anos de 2016 e 2017 Regina Barbosa realizou a produção no ERNE, Escritório Regional Nordeste,  na  execução da linha de produção de conteúdos destinados ÀS TVS Públicas – ANCINE / EBC / BRDE.

Através do Prodav das TVs Públicas  estão sendo produzidos 249 horas de conteúdo audiovisual brasileiro   numa programação  variada, composta por  séries e telefilmes de animação,  ficção e documentários. Os conteúdos são direcionados para os públicos: infantil,   jovem e adulto, realizadas pela produção independente de todos os estados do país.

 

Arte do convite3

 

A flor da casa

O curta documentário A FLOR DA CASA, direção de Regina Barbosa, apresenta um tanto do vasto mundo de Edna Constant.

A  Casa da arte é sobressalente, é fora do nível em relação a Rua São Pedro, na Garça Torta,  espaço cultural de Maceió-AL repleto de significados e de encantos. Já a Edna não cabe  numa tela, não cabe numa timeline, não cabe num curta, é uma pessoa intensa. Uma senhora que ao mesmo tempo é irreverente,  anfitriã,  amorosa e muito autêntica.

O documentário   A FLOR DA CASA apresenta um tanto do vasto mundo de Edna Constant e nos  inspira  a celebrar a força da vida.

Realização: Ideário Comunicação e Manguaba Produções.
Apoio: Algás, Gás de Alagoas S.A, Casa da Arte e Ao Pharmacêutico -Farmácia de Manipulação.

 


FICHA TÉCNICA:

Direção e Roteiro: REGINA BARBOSA

Fotografia: PEDRO OCTÁVIO e MEL VASCONCELOS

Produção: REGINA BARBOSA, MEL VASCONCELOS e HERMANO FIGUEIREDO

Montagem: MEL VASCONCELOS e JOÃO BARBALHO

Finalização: JOÃO BARBALHO e SAULO SANTOS

Música cedida (Banlieu): AUGUSTO GÓES

Captação de audio: Solon Pastor Tsapa

Mixagem: Sa Luapo

Assistente Técnico: ERISVALDO PEIXE

Colaborações: RAILTON SARMENTO e HERMANO FIGUEIREDO

Cine Jangada

O Cine Jangada exibe filmes usando como tela, velas de embarcações.  Os eventos são realizados ao ar livre com acesso gratuito ao público. As velas de embarcações são ícones da cultura nordestina e por isso são as telas para um cinema com a cara da diversidade brasileira.

O Cine Jangada vem sendo realizando eventos, desde 2013 em Pernambuco nos mesmos moldes do bem sucedido projeto “Acenda Uma Vela” de Alagoas, da Ideário.

Em 2016, o Cine Jangada em sua terceira edição, percorreu quatro cidades pernambucanas: Goiana, Ipojuca, Tamandaré e São José da Coroa Grande, realizando eventos audiovisuais. O Projeto  agregou diversas parcerias, contando com apoios das Prefeituras de cada cidade, Associações culturais, de Colônias de Pescadores, entre outras entidades.

Exibir filme numa vela de Jangada é uma atitude de inspiração cineclubista, afirmando que o cinema pode “acontecer” em qualquer lugar, dialogando com a geografia e a cultura local.

O CINE JANGADA é uma realização da Manguaba Produções, sob a coordenação técnica e curadoria de Hermano Figueiredo e produção executiva de Regina Barbosa. O projeto tem o incentivo do Funcultura, Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura, Governo do Estado de Pernambuco.

 

CJ_FotoTAMANDARE_Rodrigo (4)

Kulé Kulé

KULÉ KULÉ é uma série de publicações sobre a diversidade étnico-racial brasileira, suas tensões, conflitos, mas sobretudo, a sua beleza e riqueza. Produzidas pelo Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (NEAB) , em parceria com a Ideário Comunicação e Cultura, editado pela Edufal e com o apoio do MEC/SeSU.
Projeto gráfico e editoração: Regina Barbosa.

Kulé Kulé – Educação e Identidade Negra
Esta publicação contribui  para  que educadores e educadoras, impulsionem novos olhares e atitudes pedagógicas nos cotidianos escolares.

Kulé Kulé – Visibilidades Negras
O tema central deste volume  faz  alusão ao fato de que a presença afro-brasileira  passa muitas vezes despercebida daqueles segmentos sociais que, não raro, lançam mão desse patrimônio em suas vidas cotidianas; mesmo que o processo histórico perverso tenha colocado obstáculos à consciência desta marcante presença.

 KuléKulé – AfroAtitudeS
Coletânea de artigos  dedicada a narrar as experiências de trabalho entre professores e alunos em torno do tema das relações raciais e das políticas públicas   concernentes, como é o caso do sistema de cotas no sistema superior de ensino.

Kulé Kulé – Religiões Afro-Brasileiras
Coletânea de artigos  com a temática  sobre as   formas de religiosidade afro-brasileiras atuantes em nosso meio.

 

Fotografia: Celso Brandão.

Coleção Hora da Música

A coleção de Ensino de Música, Hora da música tem a autoria de Kelly Benevides e Márcio Beltrão. Desenvolvido para a educação musical, assino o projeto gráfico e Coordenação editorial. São cinco livros destinados ao ensino fundamental.

Uma realização da editora Fábrica de ideias. Recife/PE.

11225730_800852580061512_9130038793396837949_n12642808_800852750061495_9175772459201481854_n

Ponto de Cultura Ideário

O Ponto de Cultura Ideário iniciou os seus trabalhos no ano de 2005 fomentando  a formação de jovens moradores de comunidades populares de Maceió-AL. Num primeiro momento realizou ações de pesquisa e de incentivo ao protagonismo juvenil na comunidade da Grota do Arroz em Maceió-AL.

Nos anos de 2008 a 2010 atuou como uma Escola de Comunicação Popular. Realizou diversas oficinas e vivências nas áreas de fotografia, vídeo, artes gráficas, numa construção coletiva, com uma equipe interdisciplinar, cujo propósito foi integrar diversos diálogos entre juventudes.

A experiência agregou diversos espaços e atitudes, intercalando conhecimentos no campo da Comunicação e da cultura, abrangendo questões globais acerca das temáticas: Desenvolvimento Local, Juventudes e Participações. A Ideário passou a fazer parte do Programa Cultura Viva no ano de 2005, sendo reconhecida como Ponto de Cultura, espaço de produção e difusão de cultura e de informações.

O trabalho consistiu em viabilizar o acesso a informações, através de capacitações regulares motivando os jovens a realizarem pesquisas, reconhecerem e valorizarem as bases culturais locais.

A Ideario  é uma Organização cultural que atuou em Alagoas e produziu diversos livros, filmes, eventos de cinema itinerante, ações cineclubistas e ações de formação. Regina Barbosa e Hermano Figueiredo, entre pessoas foram responsáveis pela fundação, gestão e desenvolvimento da Associação. O Ponto de Cultura é um dos projetos em que Regina Barbosa esteve presente nas diversas etapas e ações.

O Ponto de Cultura Ideário fez parte do Programa Cultura Viva do Ministério da Cultura, Governo Federal e contou com o apoio local da Algás, Gás de Alagoas S.A..

Fotografias: Nataska Conrado

Um vestido para lia, o Livro

A  história da menina que deseja um vestido para usar na festa  começou em forma de livro.

A Nataska Conrado fez o projeto gráfico exuberante e fofísssimo, usando texturas de rendas, fuxicos e acessórios de costura.

Continuar lendo Um vestido para lia, o Livro

Pífanos e pifeiros

O documentário PÍFANOS E PIFEIROS faz um mergulho no universo imagético, sonoro e poético do pífano em Alagoas.

Devotos ou boêmios, sizudos ou brincalhões, quem são esses homens que tocam para o seu povo? Muitas vezes o tocador é também o artesão que encontra no caule da taquara a sonoridade ideal para dar alma ao instrumento. Os toques marciais, benditos, baianos e acordes inspirados em sons da natureza  compõem  um repertório que se adapta as várias ocasiões no meio cultural popular.

Apesar de ocuparem um lugar de destaque no conjunto das manifestações de cultura popular em Alagoas, constata-se na atualidade  uma preocupante redução do número das bandas de pífanos. Há  poucos instrumentistas prontos para ocuparem o lugar dos mestres que estão saindo de cena por morte ou pelo avanço da idade.

PIFANOS E PIFEIROS é um documentário média metragem, 52 minutos. Foi filmado nos anos de 2012 e 2013, nas cidades de Arapiraca, Taquarana, Limoeiro de Anadia, Viçosa, Maceió e Marechal Deodoro, Alagoas. O resultado é um filme rico em sonoridades, etnografia e reverência aos mestres da cultura popular.

Há a participação do Chau do Pife (Maceió), Mestre Bia (Viçosa), Mestre Rosalvo (Arapiraca), Mestre Antônio Argemiro (Limoeiro de Anadia), Mestre Gama (Maceió), João do Pife (Arapiraca), José Cícero (Marechal Deodoro) e também de estudiosos e apaixonados pelo tema como Railton Sarmento e Gustavo Quintela.

É uma coprodução da Manguaba e da Ideário. Direção de Hermano Figueiredo; produção: Regina Barbosa; Direção de fotografia: Yuri D’Magalhães. Patrocínio: Banco do Nordeste do Brasil, BNDES. Apoio da Algás, Gás de Alagoas S.A e do Sesc de Alagoas.

Participando do “Acenda uma vela”

418914_289581001175015_161952480_n

O mais importante projeto da Ideário  é o “Acenda uma vela”  que vem exibindo filmes  em diversas localidades, tendo como suporte  velas de embarcações. Vem sendo realizado com sucesso desde o ano de 2005, gerando  acesso gratuito do público às obras cinematográficas.
Acender uma vela é uma ATITUDE emblemática que chama a atenção para a necessidade de gerar ACESSO ao audiovisual com base nos DIREITOS DO PÚBLICO. A ação tem um caráter político, poético e performático, sendo veículo para um cinema que fala da grande vida brasileira, que faz rir e chorar, distrai e faz pensar.

Mais informações: Ideario

Produção Editorial resgata história de Arapiraca

 capa livro PLANODECENAL  FINAL 8

A  publicação – PLANO DECENAL DE ARAPIRACA   apresenta  propostas, diretrizes,  estratégias  para os próximos dez anos da cidade de  Arapiraca, como também faz um  panorama do momento atual,  e cita os   principais fatos históricos e identitários da cidade.

Conheça a versão online do livro:  PLANO DECENAL DE ARAPIRACA

Arapiraca vive um momento de grande  expansão  e funciona como uma cidade polo, oferecendo infraestrutura, prestação de serviços e um comércio  muito dinâmico, atendendo a diversos municípios do Agreste e  do sertão alagoano.

A  construção do Plano Decenal significou um grande esforço, agregando diversos segmentos da população que participaram das oficinas do Plano Decenal  da Zona urbana e da Zona Rural.     A coordenação editorial, a redação de  textos e o design da publicação  são de autoria de Regina Barbosa. Os textos e  conteúdos também foram redigidos, sistematizados ou revisados por Paulo Sergio, Simone Romão e José Matias. As  principais fotografias são de Camila Cavalcante, José  Neto e Jackson Santos. As ilustrações são de José Vicente (Vick).

Realização da Prefeitura Municipal de Arapiraca. Edição:  Manguaba, (Maceió-AL).

Lia ganha o mundo

O curta UM VESTIDO PARA LIA será exibido  pela terceira  vez  na  Mostra Paulista de Cinema Nordestino que acontece entre agosto a dezembro de 2013,  na cidade de São Paulo-SP.

Filme que tem a direção de Regina Barbosa e Hermano Figueiredo,  produção da Ideário, conta a história da garota Lia, (interpretada por Fabrícia Avelino) que deseja ter um vestido novo para participar da festa da padroeira. O filme está sendo exibido nos  CEUs, Centros Educacionais Unificados, e  em 18 escolas da zona leste de São Paulo.

O roteiro do  filme “Um Vestido para Lia” foi premiado  no 5º Festival de Cinema de Triunfo-PE.  Conta a história da menina  Lia que é filha da costureira e deseja muito um vestido novo para a festa da padroeira.

O roteiro é de autoria de Regina Barbosa. Inicialmente houve o prêmio  Curta Criança, em  2008. Em novembro de 2011,  ganhou  o melhor roteiro na Mostra Sururu, promovida pela ABD&C-AL.

O filme “UM VESTIDO PARA LIA”   no final de 2011 foi incluído no acervo da Programadora Brasil, (Programa 249 – Curta criança).  Foi selecionado para o Prêmio Brasil de Cinema Infantil. E também foi  selecionado para a mostra Circular Festival Brasileiro de Filmes Infanto-Juvenis de Londres, no mês de outubro de 2012.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Filmado no povoado de Massagueira , Marechal Deodoro, o curta lança um olhar sobre a cultura popular alagoana através dos folguedos,  do cotidiano   lagunar e do ofício da costura. O curta tem a direção conjunta de Regina Barbosa e  Hermano Figueiredo. Produzido pela  Ideário no final de 2009 e pós-produzido no Rio de Janeiro.

“UM VESTIDO PARA LIA”  é uma adaptação do livro infanto-juvenil de mesmo título,  também de  autoria de Regina Barbosa,  produzido em 2005,  com ilustrações de Nataska Conrado,  fazendo parte da série “Histórias de Lia”.

Mais informações sobre o filme.

Mais informações sobre o livro.